ações ou fundo de ações

Será que devo investir em ações ou fundo de ações?

Cada vez mais pessoas querem saber as diferenças entre ações ou fundos de ações. Afinal, o número de investidores na Bolsa de Valores no Brasil disparou. Em 2013, a quantidade de pessoas físicas no centro de negociações era de 600 mil. Atualmente, já são mais de 3,5 milhões.

A maior parte desses investidores aplica seu dinheiro na compra e venda de ações. Muitos deles fazem a estratégia de Day Trade (comprar e vender papéis no mesmo dia), mas com resultados questionáveis. No entanto, essa não é a única forma de investir na Bolsa — nem é adequada para todos os perfis.

Se você quer aprender como investir seu dinheiro de maneira mais condizente com o seu perfil de investidor, siga a leitura deste artigo e conheça mais sobre ações ou fundos de ações!

Qual a diferença entre ações e fundo de ações?

Quando um investidor vai até a Bolsa de Valores, ele tem a opção de comprar ações de empresas (dentre outros ativos negociados por lá). Ações são como pequenos tijolos de uma companhia: quem tem uma é um acionista do negócio.

Portanto, quando você investe na compra de uma ação, torna-se parcialmente dono daquela empresa. Pelo menos, de uma pequena parte dela.

Escolher qual papel comprar é uma decisão puramente do investidor (caso ele invista por conta própria, claro). Ele pode adotar qualquer estratégia que achar válida. Por exemplo, pode fazer o já citado Day Trade, que é comprar e vender ações no mesmo dia. Para ter sucesso com essa abordagem, é vital entender de Análise Técnica e estudar os gráficos de cada papel.

Ele também pode seguir a estratégia Buy’n’Hold, cujo objetivo é comprar ações e mantê-las em sua posse por muitos anos, ganhando no longo prazo. Nesse caso, o ideal é entender de Análise Fundamentalista para identificar boas oportunidades de ganhos.

Para completar, o investidor pode comprar lotes de ações (cada lote tem 100 papéis) ou negociar no mercado fracionário e comprar apenas uma fração do lote (pode variar de 1 a 99 ações). A liberdade, portanto, é praticamente total.

Fundo de ações

Já para investir em fundos de ações é um pouco diferente. Nesse caso, o investidor não compra os papéis em si, mas sim, uma cota em um Fundo de Investimento específico.

Os fundos de ações são geridos por um investidor profissional e seguem estratégias bem específicas, focadas em determinados mercados ou objetivos. Por exemplo, existem fundos que investem somente em empresas blue chips (as maiores da Bolsa). Também há os que mudam o portfólio constantemente, buscando aproveitar oportunidades específicas em um curto período de tempo.

O investidor, no entanto, não tem muita participação nisso. Ele só compra a cota do Fundo e deixa o seu dinheiro lá, sendo gerido por ele. Sua opção, caso esteja insatisfeito com a estratégia, é vender a cota e procurar outro fundo.

Além do funcionamento básico, outra diferença entre ações e fundos de ações está na tributação dos dois investimentos. No caso da compra individual de papéis, o investidor não precisa pagar impostos até um limite mensal de R$20.000,00. Se movimentar mais do que isso no mês, terá de recolher os tributos mensalmente.

Já nos fundos de ações, são dois impostos cobrados: o de Renda e o IOF. O primeiro é pago no momento do resgate e corresponde a uma porcentagem dos ganhos. Já o IOF só é recolhido caso a aplicação dure menos do que 30 dias.

Como escolher entre ações ou fundos de ações?

ações ou fundo de ações

Um dos principais erros ao investir em ações ou fundos de ações é não saber exatamente qual dessas opções é a melhor para você ou para o seu contexto atual. Afinal, como deu para ver, as duas alternativas são bem diferentes.

Confira, abaixo, alguns dos elementos a analisar na hora de escolher a melhor opção para você!

Perfil de investidor

O primeiro ponto a avaliar é o seu perfil de investidor. Normalmente, negociar ações diretamente é uma atividade mais arriscada e, portanto, direcionada para quem tem o perfil mais agressivo.

Já investir em fundos de ação tende a ser um pouco menos perigoso. Não só por causa da gestão profissional, mas também, porque a estratégia é mais diversificada. É algo recomendado para quem tem perfil moderado.

Controle sobre o dinheiro

Investir em ações é algo para quem quer ter mais controle sobre a própria estratégia. Afinal, a flexibilidade é muito maior: dá para fazer Day Trade, Buy’n’Hold, aplicar pensando em dividendos e por aí vai. Já com os fundos de ações, o investidor fica sujeito a estratégia do gestor.

Proteção

Em termos de proteção, os fundos de ações são um pouco menos arriscados. Isso porque eles são naturalmente diversificados. Nunca um gestor direciona todo o patrimônio para um papel só. Além disso, é normal colocar uma porcentagem do dinheiro em outros tipos de ativos.

Ao investir na crise, por exemplo, os fundos podem ter resultados melhores, justamente, por causa dessa diversificação. Já investir em ações por conta própria é mais arriscado nesse momento.

Custo

Por fim, investir em ações por conta própria pode ser bem mais barato do que em fundos de ações. Isso porque o único custo é o de corretagem (e algumas até zeram essa despesa).

Já nos fundos de ações, há a incidência de Imposto de Renda, taxa de administração do fundo e a possibilidade do IOF, em caso de aplicações com menos de 30 dias.

Qual a influência dessa escolha nos resultados?

Saber como escolher entre ações ou fundos de ações é importante, pois selecionar a opção errada pode afetar muito o rendimento ou a liquidez do seu investimento. Afinal, são opções bem diferentes e com contextos únicos.

Por exemplo, investir em ações, normalmente, tem liquidez diária. A não ser em casos muito específicos, você pode vender o papel no mesmo dia em que comprou e reduzir suas perdas (ou aproveitar seus ganhos) imediatamente. Já os fundos de ações têm regras específicas em relação a retirada do dinheiro, o que pode limitar suas opções.

No geral, é importante comprar cotas de Fundos de Investimento (inclusive, os de ações) para ter maior diversificação na sua carteira. Para isso, o recomendado é analisar a estratégia do fundo e seu histórico de rendimento para encontrar uma opção de acordo com o seu perfil.

A negociação de ações por conta própria também pode acontecer, desde que o investidor saiba o que está fazendo. Se entender de Análise Técnica e Fundamentalista, pode navegar sozinho na Bolsa e fazer as próprias estratégias.

Agora que você já conhece mais sobre ações ou fundos de ações, pode decidir como aplicar seu dinheiro da melhor forma. Já se você procura por algo mais protegido, o Banco ABC Brasil tem o que você precisa.

Nossos produtos de Renda Fixa (mais protegidos e com ganhos garantidos) passam por uma curadoria específica para nossos clientes. Por isso, temos um excelente rating de classificação de risco dado por agências internacionais.

Quer saber como podemos ajudar a montar sua carteira de investimentos? Então, entre em contato agora mesmo!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.