estratégia long biased

Entenda o que é a estratégia long biased e quais as suas vantagens

Talvez você já tenha ouvido falar da estratégia long biased. Ela é utilizada em alguns fundos de investimento e pode ser uma boa alternativa. Isso porque permite ganhar tanto com a alta quanto com a queda do mercado.

Parece estranho? Na verdade, não é. Essa é apenas uma das alternativas de estratégias que podem ser utilizadas. Para entender melhor, neste post, vamos explicar o long biased, suas vantagens e outros regimes que vigoram nos fundos de investimento. Continue lendo e saiba mais.

O que é a estratégia long biased?

A estratégia long biased está presente em subtipos de fundos de ações e multimercado. Ela objetiva os lucros tanto na baixa quanto na alta do mercado. Isso porque o investidor opera comprando de acordo com a tendência.

Essa seria a tradução de long biased. Assim, é possível depreender que esses fundos são movimentados com viés de compra, mas também, podem realizar operações na venda. Esse é o motivo que gera possíveis ganhos em qualquer um dos cenários.

Da mesma forma, é uma maneira de reduzir perdas e obter ganhos com tendências laterais. Assim, em períodos de alta, o desempenho negativo de um ativo ou derivativo pode ser aproveitado para aumentar o seu lucro.

Funcionamento

Os fundos com essa característica são classificados de acordo com o tipo de estratégia adotada. Nesse sentido, os FIs (fundos de investimentos) podem ser divididos em três níveis:

  1. categoria da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), por exemplo, renda fixa, multimercado, ações e mais;
  2. gestão de riscos;
  3. tipo de estratégia.

No caso, o long biased está enquadrado na última classificação. Para que essa estratégia se efetive, é preciso entender que esses fundos têm a tendência de operação comprada. Porém, também podem ficar em posições vendidas, desde que isso esteja relacionado a um título predeterminado ou no próprio índice.

Por isso, é realizado o chamado aluguel de ações (BTC). Aqui, o investidor acredita que o papel vai se desvalorizar. Por isso, ele aluga o título por um período determinado. Em contrapartida, paga uma taxa ao dono do ativo.

Por que o proprietário faz esse processo? Apesar de ele não ter interesse em vender os ativos financeiros rapidamente, quer minimizar as perdas com a queda dos preços. Por sua vez, o investidor acredita que o valor vai cair, e quer lucrar com essa baixa. Desse modo, ele vende o título agora, e busca obter os ganhos com a desvalorização.

Essa mesma dinâmica acontece com os fundos de investimento alocados na estratégia long biased. Assim, é possível alcançar um desempenho superior, mesmo em períodos de crise da bolsa de valores. Contudo, nem sempre isso ocorrerá. Afinal, vários fatores interferem nos resultados.

Quais os principais fundos de investimento disponíveis?

Existem vários fundos de investimentos e nem todos são classificados como long biased. O mercado financeiro também tem os long and short e o long only. Cada um deles tem suas características. Por isso, vale a pena conhecê-las. Entenda como investir e tomar uma decisão adequada ao seu perfil.

Long and short

É uma estratégia que prevê operar comprado e vendido, assim como o long biased. No entanto, o investimento é sempre feito em pares de ativos. Ou seja, a expectativa é que um deles tenha uma performance acima do outro. Assim, o ganho está na diferença das movimentações.

O fundo long and short é multimercado e, normalmente, investe em ações de forma prioritária. Além disso, os ativos envolvidos na negociação devem ter uma correlação entre si. Cabe ao gestor do fundo analisar as posições compradas e vendidas para definir sobre a alocação de recursos.

Nesse processo, ele verifica quais ativos valorizam mais e quais sofrem menos oscilação de alta. Assim, define o que comprar e vender, e qual será a quantidade de cada um. Dentro desse tipo de aplicação financeira, também pode ser feita a compra de ações de um setor com a venda de títulos de outro segmento. Essa operação é chamada de intersetorial.

No entanto, também é possível fazer a compra e a venda de companhias de um mesmo setor. Nesse caso, é a movimentação intrassetorial. Em algumas situações, inclusive, pode envolver apenas uma companhia. Por exemplo, no caso das operações com ações preferenciais e ordinárias (PN x ON) ou holding x subsidiária.

Long only

Prevê que o gestor trabalhe somente com a compra dos ativos. O objetivo é a valorização de um ativo. Por isso, foca o longo prazo, já que a estratégia long only sofre com a volatilidade do mercado. A CVM determina que esses fundos tenham 67% do patrimônio aplicado em:

Nessa estratégia, é permitido apenas ficar comprado. Portanto, o aumento de caixa é a única forma de se proteger em momentos de queda. Por outro lado, é um fundo que tende a subir mais em períodos de alta, assim como desvaloriza mais nas baixas do mercado.

Long biased

Permite ter posições vendidas e compradas, mas o foco é o “viés comprado”, especialmente. Por isso, oferece mais flexibilidade do que os outros dois. Além disso, a exposição líquida é mais equilibrada.

Nessa estratégia, a alocação dos ativos tende a seguir a perspectiva de alta. A maior parte dos ativos é formada por ações. Como vimos, o aluguel de ações é a opção dos gestores para ganhar nos cenários de baixa.

Devido a suas características, o fundo long biased está mais exposto ao risco. O motivo é a ausência de uma contraparte para garantia da operação. Ao mesmo tempo, o potencial de rentabilidade é maior do que nos long and short.

Quais as vantagens dessa estratégia?

estratégia long biased

A estratégia long biased é mais voltada para investidores arrojados. Isso porque apresenta mais riscos. Ainda assim, existem vários motivos que justificam a aplicação nesses tipos de fundos. Veja quais são os principais.

Flexibilidade de gestão

O gestor tem liberdade para montar as posições do fundo da maneira que preferir. Afinal, ele pode operar comprado ou vendido. Isso também ajuda a obter ganhos de curto prazo em cenários de alta ou baixa do mercado. Portanto, há ampla flexibilidade.

Redução da volatilidade

A oscilação de preços vai acontecer, mas ela será menor do que em outras modalidades. Por isso, o investidor não perceberá tanta variação quanto no fundo de ações, por exemplo. Por sua vez, isso também implica aumento menor em períodos de alta do mercado.

Diversidade de ativos

A estratégia long biased é adotada por fundos que alocam boa parte do seu capital em ações. Ainda assim, ele pode ser multimercado e investir na diversificação de ativos. Portanto, essa é mais uma forma de potencializar seus ganhos e reduzir as perdas.

Agora, você já entende como a estratégia long biased é aplicada e de que forma ela pode ser interessante para a sua carteira de ativos. Assim, é uma forma de ganhar tanto na alta quanto na baixa, e complementar os seus investimentos mais conservadores, como o Certificado de Depósito Bancário (CDB).

Gostou de saber como os fundos long biased funcionam? Confira mais dicas úteis, assinando a nossa newsletter.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.