Indexadores de investimentos: confira os 4 principais

O mercado financeiro é repleto de detalhes e demanda algum conhecimento na hora de fazer boas escolhas para sua carteira. Conhecer sobre a economia e os principais indexadores de investimentos pode ser extremamente proveitoso para você ter segurança em suas escolhas de ativos.

Por meio deles, é possível estimar a remuneração esperada para algum ativo, conhecer a expectativa de inflação e acompanhar qual a taxa básica de juros da economia. Todos esses elementos macroeconômicos são essenciais para fazer uma leitura mais clara do cenário atual e melhorar suas previsões de longo prazo. Se você quer saber mais sobre os indexadores de investimentos, continue a leitura e confira nosso post!

O que são indexadores de investimentos?

Um indexador de investimentos é uma taxa ou um índice normalmente usado como referência para o reajuste de contratos de investimento na economia, determinando qual rentabilidade os ativos de renda fixa recebem.

Eles podem ser utilizados para a definição do cenário econômico nacional e ajudam na hora de determinar se a remuneração de determinado ativo concorda com o seu grau de risco.

Assim, quando se diz que um contrato de aluguel foi reajustado pelo IGP-M, por exemplo, isso significa que tal indexador foi aplicado para corrigir o valor do contrato em um determinado período. Em grande parte dos casos, esse tipo de correção é feito com periodicidade anual, mas vale conferir o que foi acordado em contrato.

Para que eles servem?

Tais indexadores são comumente usados em análises econômicas e financeiras. Fazem parte do dia a dia de todos os brasileiros, sendo o IPCA e a taxa Selic os mais conhecidos. Há, também, outros índices associados a alguns setores específicos da economia.

Para investimentos de renda fixa, os indexadores servem como uma referência para a rentabilidade dos ativos. Para quem atua no mercado financeiro, portanto, são ainda mais importantes, pois determinam os ganhos das operações realizadas.

Quais são os tipos de indexadores?

Existem alguns indexadores de investimentos no Brasil. Para escolher o mais adequado, é importante que você conheça as características deles. Com o objetivo de lhe ajudar nessa tarefa, separamos as principais informações sobre eles. Confira abaixo.

1. Selic

A taxa Selic é determinada pelo Comitê de Política Monetária, órgão do Banco Central do Brasil. É um indicador básico da economia, usado como instrumento econômico de combate à inflação, por exemplo.

Isso porque a taxa Selic é usada em operações de curtíssimo prazo entre instituições financeiras e pode afetar todas as outras taxas de juros do mercado. Assim, vale a pena entender como funciona esse indexador.

No mundo financeiro, existem ativos que remuneram os investidores por meio dessa taxa, como é o caso do Tesouro Selic. Nesse ativo, a rentabilidade recebida por um agente está atrelada às variações que ocorrem nela. Além disso, como o CDI segue a Selic, todos os ativos relacionados ao CDI também são afetados.

2. CDI

O Certificado de Depósito Bancário é usado em operações de curtíssimo prazo entre os bancos. Como dito acima, ele está atrelado à Selic, sendo que, em geral, rende 0,2% a menos do que a taxa básica de juros da economia. Dessa forma, quando um dos indexadores sobe, o outro tende a subir também.

Em grande parte, investimentos de renda fixa, como Certificados de Depósitos Bancários, Letras de Crédito e outros usam o CDI como indexador. Além disso, existem opções de títulos que pagam mais do que 100% do CDI. Mas vale atentar aos riscos. Em geral, quando há pagamentos superiores, eles podem ser maiores.

Assim, contar com a assessoria de profissionais gabaritados que conheçam a realidade do mercado e ajudem você a escolher ativos de acordo com o seu perfil de investidor pode ser uma ótima alternativa.

3. IPCA

O IPCA é o indicador de inflação oficial do país. Calculado mensalmente pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, mede o quanto variam os preços de uma determinada cesta de bens para o consumidor final.

Para quem é investidor, o IPCA pode ser uma ótima forma de proteger o dinheiro da depreciação que a inflação causa. Existem diversos ativos com rentabilidade associada a esse índice. Com isso, você garante ganhos reais para os seus recursos.

Um dos ativos mais comuns que utiliza esse indicador é o Tesouro IPCA+, um título público emitido pelo governo que garante rendimentos relacionados à inflação, mais um percentual pré-fixado. Se você quer preservar seu valor de compra, vale a pena optar por ativos atrelados a esse indexador.

4. IGP-M

Outro indexador é o Índice Geral de Preços do Mercado, também relacionado a inflação do Brasil. É obtido mensalmente pela Fundação Getúlio Vargas, e, no geral, seu valor atual difere da medida anterior.

Esse indexador é mais incomum no mercado financeiro, mas ainda é possível encontrar títulos que fazem uso do IGP-M para determinar o rendimento de um ativo. Assim, os ativos costumam render esse indexador, mais um percentual pré-fixado.

Qual é o impacto desses indexadores nos investimentos?

indexadores de investimentos

Para fazer uma boa escolha de investimento, é importante conhecer em detalhes esses indexadores, visto que eles exercem um impacto significativo em suas aquisições. Isso pode ser claramente entendido quando se considera a inflação.

Ao adquirir um ativo que não está associado a nenhum índice que corrige a inflação, por exemplo, quando há uma alta no IPCA, mesmo que a remuneração do ativo seja alta, pode ser que ele não cubra a depreciação do dinheiro que o IPCA causou.

Exemplo: se você tem uma remuneração de 8% por algum ativo, mas a inflação foi de 10%, isso significa que houve perda de valor por conta da inflação. Nominalmente, o seu dinheiro aumentou em 8%, mas, na realidade, está com um poder de compra equivalente a -2%.

Portanto, para evitar prejuízos e aquisições de ativos ruins, é necessário entender o impacto que os indexadores de investimentos exercem sobre os ativos e como eles mostram as condições atuais da economia brasileira. Por meio desse tipo de análise, você se protege da inflação, encontra opções que remuneram acima da Selic e torna a sua carteira mais equilibrada.

Gostou deste artigo e quer aprender mais sobre o mercado financeiro? Assine a nossa newsletter e receba conteúdos exclusivos em seu e-mail.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.