investir em CDB

Por que investir em CDB? Entenda tudo sobre esse assunto!

Em algum momento, você já passou por uma oportunidade de investir em CDB, mas você ficou na dúvida se essa era uma boa opção para compor sua carteira de investimentos? Esse título está entre os mais populares do mercado, o que não significa que ele não cause dúvidas.

Logo, vamos mostrar tudo o que é preciso saber sobre esse assunto e apontar as principais vantagens de aplicar o seu dinheiro em CDB. Tenha uma boa leitura!

O que é e como funciona o CDB?

CDB é a sigla para Certificados de Depósito Bancário. Essa forma de investimento se enquadra na categoria de aplicações de renda fixa. Ou seja, a forma de remuneração é definida pelo investidor no momento do contrato da aplicação. Os bancos são os responsáveis pela sua emissão e fazem isso para captar novos recursos financeiros no mercado.

Funciona assim: para ter dinheiro para emprestar aos seus clientes, os bancos estão sempre atrás de novos recursos. Nesse ponto é que entram os CDBs. Esses títulos são emitidos e quem os compra está, de certo modo, emprestando dinheiro para o banco emissor, que consegue assim conceder novos empréstimos e financiamentos aos seus clientes.

Em troca, o investidor passa a ter direito de receber o dinheiro de volta dentro do prazo estipulado e com o acréscimo dos juros estabelecidos, o que compõe a rentabilidade oferecida pelo banco.

Diferentemente de outras aplicações, como a caderneta de poupança, cada banco é livre para oferecer a rentabilidade escolhida para os CDBs emitidos por ele. Esse número costuma variar de acordo com as condições do mercado, as políticas de crédito da instituição financeira e sua reputação. Ou seja, dependendo da situação, um banco pode oferecer rentabilidades maiores para tornar seus títulos mais atrativos.

Quais são os tipos de CDBs existentes?

Embora partam do mesmo princípio, nem todos os CDBs são iguais: eles são divididos em três grandes categorias, conforme listamos abaixo. A diferença entre elas está basicamente na forma como a rentabilidade é calculada. Veja:

Pré-fixados

Os CDB pré-fixados têm a sua taxa de rentabilidade exata informada no momento da aplicação, o que permite ao investidor saber com precisão quanto ele receberá de volta no vencimento do título.

Isso se mantém mesmo que a situação da economia se altere bruscamente. Por isso, quem investe nesse tipo de CDB deve ter uma boa perspectiva sobre as projeções do cenário econômico no período da aplicação, sob o risco de perder oportunidades melhores, dependendo da circunstância.

Pós-fixados

Os CDBs pós-fixados, por sua vez, têm sua rentabilidade atrelada a um indicador econômico. O mais utilizado costuma ser o CDI (Sigla para Certificado de Depósito Bancário), que acompanha muito de perto a SELIC, juros básicos da economia nacional.

Nesse caso, o rendimento costuma ser informado a partir de um percentual sobre o CDI. Então, é comum ver CDBs que prometem ao investidor um retorno de 110% do CDI, por exemplo.

Híbridos

Por fim, temos os CDB híbridos, que funcionam combinando as características dos títulos pré-fixados e dos pós-fixados. Assim, a rentabilidade é obtida a partir da combinação de uma taxa fixa mais a oscilação de um indicador econômico, que podem ser os juros ou a inflação.

Um exemplo de CDB híbrido seria a opção que oferecesse ao investidor um retorno de 4% ao ano, mais a oscilação da inflação medida pelo IPCA no período. Isso garante que o dinheiro investido não perca poder de compra diante do aumento de preços e faz com que ele obtenha um ganho real.

Por que investir em CDB? Conheça as principais vantagens

Agora que você sabe o que são, como funcionam e quais os principais tipos de CDB, veja abaixo alguns motivos que mostram por que investir em CDB pode ser uma boa alternativa para sua carteira de investimentos.

Rentabilidade

Com alguma procura, é possível encontrar CDBs que entregam bons níveis de rentabilidade. Principalmente quando comparados a outras opções de renda fixa, como a caderneta de poupança ou até mesmo os títulos públicos negociados no Tesouro Direto.

Isso acontece principalmente com os CDBs que oferecem retorno igual ou superior ao CDI. Logo, com a escolha apropriada, é possível obter rendimentos superiores a esse indicador combinando a segurança e praticidade dessa forma de investimento.

Facilidade

É importante também destacar a facilidade de acesso aos CDBs. Diferentemente de outras aplicações, eles são facilmente encontrados em todos os bancos e não demandam a abertura de conta em corretoras, por exemplo. Além disso, todo o investimento e o seu acompanhamento podem ser feitos pela internet, a qualquer momento.

Os valores iniciais costumam variar de banco para banco, mas esse também não costuma ser um grande impedimento. Isso porque os aportes mínimos geralmente começam em patamares de valores baixos.

Baixo risco

O baixo risco é outra característica bastante reconhecida pelos CDBs. Ainda assim, sempre levando em conta que não existe investimento isento de risco, é necessário considerar esse aspecto também nessa aplicação.

O principal risco que um CDB está exposto é o chamado “risco de crédito”, que diz respeito à perda de capacidade financeira de quem emitiu o título de honrar esse compromisso. Diante disso, os CDBs contam com garantia do chamado Fundo Garantidor de Crédito, que assegura depósitos de até R$ 250 mil em caso de problemas do tipo.

Logo, muito da segurança de um CDB vem da solidez da instituição financeira que o emite. Para quantificar isso, existem as chamadas agências de rating, que indicam quão seguro são os títulos daquela empresa. Bancos e instituições financeiras consideradas boas opções recebem o chamado “grau de investimento”, enquanto as consideradas menos seguras são incluídas no chamado “grau especulativo”.

Liquidez

Por muito tempo, os CDBs eram conhecidos por ter liquidez baixa. Ou seja, os títulos tinham prazos de vencimento alongados e era difícil resgatar o dinheiro antes disso. De todo modo, o cenário está mudando e hoje é possível encontrar aplicações dessa categoria com liquidez diária.

Em geral, é possível encontrar títulos com vencimento desde um dia até um, dois, três anos… O que muda, na realidade, é o rendimento oferecido por cada um deles. É possível dizer que quanto mais curto o prazo do investimento (ou seja, quanto maior a sua liquidez), menor será a rentabilidade do título.

Se você estiver disposto a assumir uma liquidez menor (sabendo que o valor só poderá ser resgatado daqui a meses ou anos), poderá conquistar uma rentabilidade maior. Já se quiser ter a vantagem de poder resgatar o ativo a qualquer momento, saiba que o rendimento ficará um pouco abaixo das demais opções.

O interessante, nesse ponto, é considerar quais são os objetivos. Você precisará desse dinheiro a curto prazo? Se sim, é melhor mantê-lo disponível. Já se você tem alguma reserva de emergência ou outra quantidade de recursos aplicados com liquidez diária, pode recorrer a prazos maiores.

Ah! Vale reforçar que quanto maior a liquidez do ativo, maiores são os tributos cobrados sobre a operação. Isso significa que se você quiser mais dinheiro no seu bolso, o melhor é assumir prazos mais extensos mesmo.

Prazos

Outra vantagem importante que mostra que CDB é um bom investimento são os prazos bem definidos. Normalmente, eles são emitidos para períodos que variam entre 30 e 1826 dias (5 anos). Então, você saberá quando pode resgatar o seu capital.

Além disso, o prazo de liquidação também é conhecido. Isso significa que você sabe exatamente o tempo que o emissor tem para transferir o capital aplicado e corrigido na sua conta bancária. É claro que isso varia de acordo com cada investimento e cada banco, mas você terá conhecimento das datas no momento da negociação.

É claro que é importante conhecer essas informações antes de investir e, principalmente, incluí-las no seu planejamento financeiro. Sem isso, você não saberá se os ativos estão ou não alinhados ao seu objetivo, já que ao precisar do dinheiro antes do prazo você poderá comprometer seu rendimento.

investir em cdb

Quais são as principais diferenças entre o CDB e outros investimentos de renda fixa?

Existem diversos tipos de investimentos que podem ser considerados ideais para quem quer conquistar maior estabilidade para a sua carteira. As aplicações ideais para essa finalidade são as que se classificam como renda fixa.

Nesse ponto, é importante entender como outros tipos de investimento se diferenciam do CDB. Vamos lá?

Tesouro Direto

A escolha entre Tesouro Direto e CDB vai depender exclusivamente dos objetivos do investidor e da sua expectativa de rentabilidade para as aplicações. Além da rentabilidade, a segurança entre ambos é bastante parecida, apesar de o Tesouro ser considerado o investimento mais seguro do país.

Como o mercado dispõe de muitas opções, é absolutamente normal que os investidores se sintam inseguros na hora de designar seu patrimônio. Nesse caso, tanto o CDB quanto o Tesouro Direto são as opções mais conhecidas e recorrentes na categoria.

O que diferencia os dois é que o Tesouro é um título público, emitido pelo governo federal. Já o CDB é privado e a sua emissão é feita pelos bancos. Além disso, o Tesouro é indexado pela taxa Selic, enquanto o CDB é pelo CDI.

Em geral, os valores de ambas as opções são muito próximos, o que acaba tornando seus rendimentos semelhantes. Em casos bem específicos, os CDBs podem oferecer retornos um pouco superiores, mas é preciso pesquisar bastante para encontrar essas oportunidades.

Outra diferença é que o Tesouro ainda conta com uma taxa de custódia, que não existe no CDB. Porém, para aplicar em CDB é preciso ter disponível, no mínimo, R$1 mil, enquanto no Tesouro, com R$30,00 você começa a investir.

Ainda assim, colocando tudo no papel, pode-se chegar a uma diferença considerável no ganho líquido pelas aplicações.

LCI

A Letra de Crédito Imobiliária é outra opção que pode ser considerada muito vantajosa para quem procura estabilidade nos investimentos. Isso porque tem um custo bem atrativo e um ganho líquido maior. Ela é isenta de tributos, enquanto o CDB conta com o Imposto de Renda e o Imposto sobre Operações Financeiras.

Além disso, as LCIs são uma espécie de fomento às atividades do setor imobiliário, já que financiam grandes obras. Ainda assim, os rendimentos do CDB conseguem superar os da LCI em muitos casos, apesar dos tributos. Isso faz com que ambos sejam indicados para a diversificação da carteira.

Poupança

Apesar de improvável, ainda existem pessoas acreditando que deixar o dinheiro na poupança é mesmo a melhor opção. Na verdade, o mercado financeiro oferece inúmeras opções mais vantajosas, tanto no que diz respeito à rentabilidade quanto aos riscos, que nem são tão altos assim.

Com a Selic em cerca de 4,5% ao ano, a poupança bate 3,15%, no máximo. O que é uma perda significativa para quem busca resultados. Em geral, podemos afirmar que deixar o dinheiro na poupança é o mesmo que perder dinheiro. Ou seja, o seu capital se desvaloriza, principalmente se compararmos quanto ele poderia render em outras modalidades.

É claro que, para fazer os melhores investimentos, é importante contar com bancos ou corretoras de valores da sua confiança. Uma equipe especializada e preparada para prestar todo suporte aos seus investimentos faz muita diferença.

Portanto, busque conhecer algumas instituições financeiras que possam ajudar a identificar seu perfil de investidor. Ela vai traçar seus objetivos com clareza e eleger uma estratégia de investimento que seja realmente alinhada com aquilo que você espera. Dessa forma, além de alternativas de CDBs, você pode chegar a outros ativos igualmente interessantes para a sua carteira.

Fique sempre atento às taxas cobradas e às vantagens oferecidas por cada corretora. Busque um bom custo-benefício mais que apenas preços bons. É assim que você conseguirá parceiros estratégicos que ajudarão a multiplicar o seu dinheiro ao longo do tempo.

Não se esqueça: o CDB é um título de renda fixa, com risco baixo e taxas bem atrativas. Portanto, pode ser uma boa opção, especialmente se você tem um perfil conservador ou moderado. Respeite sempre a sua tolerância aos riscos dos investimentos para evitar decisões impensadas e prejuízos para a sua carteira.

Entendeu por que investir em CDB é um bom investimento? Então, que tal conhecer um banco preparado para oferecer as melhores alternativas para você e com bons produtos financeiros? Esse é o caso do ABC Personal! Com nosso portfólio, não será necessário contar com o auxílio de consultores ou de assessoria de investimentos para fazer uma boa opção na hora de aplicar seu dinheiro.

Para mais informações, não perca mais tempo: entre em contato com a gente agora mesmo. Estamos prontos para atendê-lo!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.