qual o valor ideal para reserva de emergência

Qual o valor ideal para reserva de emergência? Tire suas dúvidas

Vivemos tempos de incerteza financeira e, mais do que nunca, ter uma reserva de emergência é de extrema importância. Ela garante recursos disponíveis em caso de algum imprevisto ou uma necessidade emergencial. Por isso, é importante saber qual o valor ideal para ter na sua reserva.

É isso que você vai conferir neste post! Preparamos um conteúdo com as principais informações sobre a importância de uma reserva de emergência no cenário atual, como você pode criar a sua, de que forma pode basear a sua reserva nos seus custos de vida e muito mais.

Então não perca mais tempo e confira, agora mesmo!

Qual é a importância da reserva de emergência no cenário atual?

Uma reserva de emergência nada mais é do que aquilo que o próprio nome já indica. Trata-se de uma quantia mensal que deve ser poupada, como se fosse uma dívida a ser paga todos os meses, mas que, em vez de ir parar nas mãos de outra pessoa, irá para uma conta, uma poupança ou um investimento específico para isso.

No momento de extrema instabilidade que estamos vivendo atualmente, tanto no Brasil quanto no restante do mundo, é importante se preparar para enfrentar imprevistos. Mas o que seriam essas adversidades? Em meio a uma pandemia que ninguém esperava, muitas empresas tiveram suas atividades encerradas e muitos trabalhadores perderam seus empregos.

Sem renda, essas pessoas sofreram um forte impacto no seu orçamento familiar, perderam poder de compra e, em muitos casos, ainda enfrentaram dificuldades. É claro que nem todas as situações foram extremas. Porém, em qualquer uma delas, ter uma reserva de emergência seria uma forma de amenizar significativamente as consequências.

Isso porque a reserva tem por objetivo cobrir os custos e as despesas de alguns meses — do grupo familiar ou de uma pessoa só. Logo, é uma forma de garantir que, mesmo que não entre um centavo no bolso naquele mês (ou em um período maior), haverá dinheiro para sobreviver e arcar com as contas regulares.

Como criar uma reserva de emergência?

qual o valor ideal para reserva de emergência

Você já viu que ter uma reserva de emergência é mesmo importante, não é? Não se trata apenas de um plano que você faz para daqui a alguns anos, quando estiver ganhando melhor. Pelo contrário, é justamente aqui e agora que você deve começar a pensar sobre isso.

Qual o valor da reserva?

Em geral, podemos dizer que o valor ideal para a sua reserva de emergência é o montante correspondente às despesas do número de meses que você quer garantir caso fique absolutamente sem renda. Ficou confuso?

Imagine o seguinte: você chegou ao trabalho pela manhã e o seu chefe o chamou para conversar. Ele disse que a empresa precisa enxugar os custos e, nessa nova estruturação, você teria que ficar de fora da organização. O tempo foi passando e você não conseguiu um novo emprego. Então, como pretende pagar suas contas enquanto se reposiciona no mercado? De quanto tempo precisa? Três meses? Seis? Um ano?

A partir disso, você conseguirá calcular qual o valor ideal para reserva de emergência. Se os seus custos mensais são de R$3 mil, por exemplo, e você quer viver tranquilamente, mesmo que não tenha nenhuma fonte de renda por, pelo menos, 12 meses, precisará de um montante de R$36 mil. Compreendeu?

Quais despesas devem ser levadas em consideração?

Quando você decide comprar um novo par de sapatos ou aquele celular que deseja muito, precisa arcar com os custos dessas aquisições, à vista ou a prazo. É um compromisso. Você, literalmente, trabalha para pagar essas despesas. Então, por que não assumir o compromisso de tirar uma parte da sua renda para garantir um futuro mais tranquilo?

É claro que, para isso, você terá que identificar quais são as despesas que devem ser consideradas. Você pretende manter o mesmo padrão e qualidade de vida mesmo em meio a uma crise? Se sim, inclua integralmente as despesas que você tem hoje. Se não, revise tudo e pense naquilo que é realmente essencial, como aluguel, alimentação, combustível, escola das crianças e assim por diante.

Como entender os custos de vida e planejar com base nessa informação?

Como você deve ter percebido, descobrir qual o valor ideal para reserva de emergência depende, principalmente, do conhecimento sobre os seus custos atuais de vida. É claro que, quando temos uma renda garantida no final do mês, acabamos exagerando e excedendo em alguns aspectos. No entanto, você entende como está gastando o seu dinheiro?

Esses gastos são divididos, basicamente, em duas categorias, como você confere a seguir:

Custos necessários

Os custos necessários são as suas prioridades financeiras. Sem eles você não vive ou, pelo menos, não garante o básico dentro de casa, como: alimentação, transporte, educação, vestuário, além de itens de consumo como água e energia elétrica, entre outros.

Custos supérfluos

Os custos supérfluos são todo o resto. Sim, todo o resto: a academia três vezes por semana, o happy hour com os amigos e até mesmo aquele plano de TV por assinatura sem o qual você jura que não pode viver. Acredite, você pode. Especialmente durante uma crise financeira.

A reserva de emergência pode ser investida?

Para garantir que você não vai mexer no dinheiro reservado por qualquer razão e ainda fazer ele render por conta própria, você pode aplicar em produtos financeiros. Na verdade, investir durante a crise é uma ótima alternativa, porque o mercado, em geral, está fragilizado, o que significa que comprar certos ativos se torna muito mais acessível.

Assim que a economia se recuperar, a tendência é de que esses preços subam e você, por consequência, ganhe dinheiro com isso. Isso, é claro, se você escolher uma empresa sólida e confiável para investir, que superará a crise.

Além disso, é preciso priorizar uma boa liquidez, portanto, fique de olho no prazo dos investimentos. Para que a sua reserva de emergência realmente possa ser utilizada em um momento de necessidade, precisa ser resgatável de um dia para outro. Algumas boas opções para isso são:

  • Tesouro Selic;
  • CDB com liquidez diária;
  • Fundos de renda fixa.

Em quais situações recorrer à reserva de emergência?

Já que falamos em investir o seu dinheiro para evitar que você mexa nele antes da hora, é preciso saber, afinal, quando é o momento certo de recorrer a esse recurso. De antemão, podemos adiantar: são poucas as circunstâncias.

Se você pensar bem a respeito, uma reserva de emergência serve para cobrir despesas repentinas, casos de urgência. Isso, geralmente, está associado a questões de:

  • Doença e internações hospitalares;
  • Desemprego;
  • Redução da renda familiar;
  • Mudança de cidade;
  • Emergências educacionais.

Certamente, dar o primeiro passo na construção de uma reserva de emergência é o mais difícil. Mas, com pequenos ajustes, é possível conseguir economizar todos os meses para ter maior segurança financeira, caso aconteça qualquer imprevisto.

Agora que você já sabe qual o valor ideal para reserva de emergência, descubra 8 hábitos financeiros saudáveis para colocar em prática agora mesmo!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.