renda fixa

Você sabe o que é renda fixa? Conheça seus investimentos

Na hora de escolher uma aplicação financeira, é normal se deparar com as duas principais categorias de aplicações disponíveis no mercado: a renda fixa e a renda variável. No entanto, embora essa divisão seja bem popular, muitas vezes surgem dúvidas a respeito sobre as características de algumas delas.

Pensando nisso, vamos indicar neste texto, quais são os aspecto-chave das aplicações em renda fixa, quais são os principais investimentos do tipo e no que eles se diferenciam das aplicações em renda variável. Boa leitura e bons investimentos sempre!

O que é um investimento de renda fixa?

Em um investimento em renda fixa, a forma de remuneração é definida pelo investidor no momento do contrato da aplicação.

A lógica por trás dos investimentos em renda fixa costuma ser simples. Eles são títulos emitidos por bancos, instituições financeiras ou mesmo pelo governo para que esses possam captar recursos e manter suas atividades. Dessa forma, na prática, quem está investimento em renda fixa empresta seu dinheiro a quem emitiu o título e em troca recebe juros, dentro do prazo estabelecido no momento da aplicação.

Os investimentos em renda fixa são divididos em dois grandes tipos: os pré e os pós-fixados. Os prefixados são aqueles cujo retorno será definido com precisão no momento da aplicação e seguirão assim até o vencimento da aplicação, não importa o que aconteça na economia. Assim, um investimento de renda fixa com retorno de 6% ao ano se manterá assim até que seja feito o resgate, por exemplo.

Nos pós-fixados a rentabilidade não pode ser conhecida com precisão no momento da aplicação, mas é possível ter uma noção dela, uma vez que aplicações do tipo tem sempre seu retorno atrelado a um indicador econômico, como a taxa de juros medida pela Selic, a inflação ou o CDI.

Todavia, é sempre importante lembrar que esses indicadores oscilam com o passar do tempo, o que impede saber exatamente o retorno será obtido no momento do resgate. Assim, quem investe em um título que paga a Selic do período só saberá quanto exatamente embolsará no vencimento do investimento.

O que é um investimento de renda variável?

Já as aplicações em renda variável partem de um princípio diferente das opções de renda fixa: nelas, o investidor não tem nenhuma garantia sobre qual será o seu retorno ao final do investimento.

Isso acontece por que a renda variável está muito mais exposta do que as opções de renda fixa a uma série de aspectos das economias nacionais e internacionais, como variações no cenário político e mudanças nos indicadores econômicos, como juros, inflação e crescimento do Produto Interno Bruto (PIB).

A maioria dos títulos de renda variável são emitidos por empresas que estão a fim de abrir seu capital e com isso captar recursos no mercado para financiar a sua expansão. Nesse sentido, quem investe em renda variável se torna sócio da companhia e torce para que ela prospete, para a partir disso, obter lucros. De todo modo, existem outras formas de investir em renda variável, como mostraremos mais abaixo.

Quais são os principais pontos de diferença entre renda fixa e renda variável?

Agora que você sabe, em linhas gerais, como funcionam os investimentos em renda fixa e variável, vamos comparar essas duas categorias de acordo com alguns aspectos importantes quando consideramos um investimento financeiro. Confira.

Risco

Nos investimentos, os riscos dizem respeito a chance do retorno esperado não se concretizar ou ainda de que aconteça alguma perda com relação do dinheiro investido. Ou seja, quanto maior o risco da aplicação, maiores serão as chances de ver seus investimentos não renderem ou até mesmo dando prejuízos.

Na comparação entre renda fixa e renda variável, a primeira costuma oferecer riscos muitos menores para os investidores. Embora nem todo investimento em renda fixa apresente o mesmo nível de risco, eles costumam ser menores quando comprados às opções de renda variável.

Muito dessa segurança presente na renda fixa vem da reputação dos bancos emissores dos títulos, principalmente de acordo com as chamadas agências de rating, que indicam qual a classificação de risco das instituições financeiras.

Depois disso, vale conferir as opções de renda fixa que contam com a cobertura do Fundo Garantidor de Crédito (FGC) presente em parte das aplicações. O FGC garante depósitos de até R$ 250 mil reais em alguns investimentos dessa categoria.

Volatilidade

Já a volatilidade representa as oscilações de um investimento. Assim, quanto maior a volatilidade, maior as mudanças e a intensidade na cotação daquele ativo, o que sempre exige atenção do investidor.

Nesse caso, a renda variável costuma sair na frente. Mudanças, tanto para cima quanto para baixo, são uma constante em boa parte das aplicações dessa categoria. Isso não significa que a renda fixa não tenha impactos com volatilidade, mas ela costuma ser mais previsível.

Rentabilidade

Não é regra, mas geralmente a maior exposição ao risco e a volatilidade fazem com que as opções de renda variável ofereçam maior rentabilidade aos investidores. Logo, quem prefere a segurança e não está disposto a correr riscos maiores deve priorizar as alternativas de renda fixa.

Liquidez

A liquidez reflete a capacidade de converter um investimento em dinheiro. Quanto maior a liquidez do investimento, mais fácil sacá-lo. Investimento em renda variável costumam ter liquidez menor, mas também é possível encontrar aplicações de renda fixa cujo o prazo de vencimento do título é bastante longo.

De todo modo, na renda fixa é possível encontrar diversos títulos com liquidez diária. Logo, é sempre importante analisar esse aspecto antes de investir.

Quais os principais investimentos em renda fixa?

A maioria dos investimentos em renda fixa são de fácil acesso, uma vez que estão disponíveis em praticamente todos os bancos e quase sempre não costumam exigir aportes iniciais elevados.

Entre os investimentos de renda fixa mais conhecidos estão os títulos públicos do Tesouro Direto, os Certificados de Depósito Bancário (CDBs) e as Letras de Crédito Imobiliário e do Agronegócio (LCI e LCA).

Além dessas opções mais populares existem outras menos conhecidas, mas que merecer ser abordadas. Entra elas estão o COE (Certificado de Operações Estruturadas), título de renda fixa que agrega a potencial rentabilidade da renda variável, e as debêntures, que são títulos emitidos por empresas em busca de recursos no mercado.

Quais são os principais investimentos em renda variável?

Dentro da renda variável, a principal opção de aplicação são as ações. Mas essa categoria não se restringe aos papéis negociados na bolsa. O câmbio de moedas estrangeiras e os fundos ações e multimercado estão entre outras alternativas para quem quer contar com investimentos desse tipo na sua carteira.

Agora que você sabe o que é renda fixa e quais suas principais diferenças para a renda variável, saiba o que considerar antes de escolher suas formas de investimento. Lembre-se sempre de levar com conta seu perfil de investidor, suas metas ao aplicar e qual o dinheiro disponível para isso. Lembrar-se da importância da diversificação é também outro ponto importante.

Quer ter acesso as melhores opções de investimento? Então que tal abrir sua conta conosco totalmente gratuita? Estamos à disposição esperando você!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.