renda passiva e ativa

Renda passiva e ativa: entenda quais são as diferenças

Um investidor que tenha um bom plano a longo prazo precisa saber como obter renda passiva e ativa. Afinal, ter opções nessas duas modalidades ajuda a gerar maior segurança financeira e tranquilidade.

Atualmente, o sonho em longo prazo mais comum dos brasileiros é o de viver de renda. Entretanto, é fato que esse é um cenário muito difícil de se realizar para a maioria das pessoas.

Afinal, para poder viver de renda, é necessário ter um bom planejamento, muita disciplina e investir de maneira estratégica durante um tempo considerável. Além de saber como obter renda passiva e ativa.

Quer saber a diferença entre elas e como investir de forma estratégica? Então, siga a leitura do artigo!

O que é renda passiva?

Renda passiva é todo o tipo de rendimento obtido que não está atrelado a sua capacidade de trabalho. Você pode, até mesmo, ter trabalhado em algum momento, mas o rendimento não tem relação com a sua capacidade laboral, por exemplo.

Dessa forma, podemos definir a renda passiva como aquela que existe por conta própria, sem a necessidade de consumo do seu tempo. Portanto, se você tirar um ano sabático, aposentar-se ou, simplesmente, não trabalhar mais, ainda continuará recebendo essa renda passiva.

Essas são as principais fontes de renda passiva, atualmente:

  • aluguéis;
  • direitos autorais;
  • lucros de uma empresa (desde que o dono não trabalhe nela e a deixe a cargo de outra pessoa);
  • carteira de investimentos.

O que é renda ativa?

renda passiva e ativa

A renda ativa, por sua vez, é o contrário da passiva. Ela é todo o tipo de rendimento que é obtido pela aplicação do seu trabalho e do seu tempo. Ou seja: é o dinheiro ganho porque você gastou determinado nível de esforço, tempo e expertise para obtê-lo.

Dessa forma, a renda ativa só existe enquanto você puder trabalhar para obtê-la. A partir do momento que você decida não investir seu tempo e esforço nessa fonte de renda, ela parará de gerar dinheiro. No Brasil, a vasta maioria das pessoas sobrevive apenas com a renda ativa.

Essas são as principais fontes de renda passiva:

  • salário;
  • honorários;
  • faturamento de autônomos;
  • comissões de vendas;
  • direitos trabalhistas.

Quais são as diferenças entre renda passiva e ativa?

Provavelmente, você já compreendeu bem o que é renda passiva e ativa, mas vale a pena dedicar um pouco de tempo para realmente marcar as diferenças entre elas. É importante, por exemplo, compreender que não existe um tipo de renda que é naturalmente melhor do que outro. Cada uma funciona de um jeito e ambas são interessantes.

Talvez a principal diferença entre renda passiva e ativa seja o material usado para gerá-las. Nesse caso, a renda ativa é gerada pela aplicação do seu trabalho e do seu tempo. Sem oferecer isso ao mercado, você não recebe nenhuma renda ativa.

Já a renda passiva é obtida pela aplicação de valor. Ele pode assumir várias formas, como já vimos. Por exemplo, pode ser uma casa que é alugada ou pode ser alguns milhares de reais que foram aplicados em uma carteira de investimentos.

Por causa desses mecanismos de funcionamento, há um risco sério em viver apenas de renda ativa, como acontece com a maior parte da população. Isso porque ela “gasta” o seu material de geração, enquanto a renda passiva não.

O que isso quer dizer? Na prática, você precisa gastar o seu trabalho e o seu tempo para gerar um salário, uma comissão de venda ou um faturamento para sua atuação autônoma. Você não tem como recuperar esse trabalho ou esse tempo depois.

Já com os principais exemplos de renda passiva, o material gerado não acaba. Se você colocar determinado valor em um Tesouro IPCA+ com cupom de juros semestrais, ainda terá esse dinheiro (na verdade, um montante maior) quando os títulos vencerem.

Além disso, a renda ativa é muito mais insegura do que a passiva. Existe muita coisa que pode acontecer e interromper seu fluxo, como uma demissão, ter problemas de saúde e muito mais. Por isso, é essencial gerar uma renda ativa, mas também, ter uma estratégia de renda passiva.

Como ser mais estratégico ao investir?

Ninguém discute que é importante ter opções que gerem renda passiva e ativa. A grande questão, no entanto, é: como conquistar um fluxo estável de renda de forma passiva? A resposta é: ao ser mais estratégico ao investir.

A não ser que você tenha nascido em uma classe alta, é muito improvável que tenha, de repente, uma quantidade de dinheiro grande o suficiente para viver apenas de renda passiva. Portanto, você precisará obter renda ativa pelo seu trabalho para investir com estratégia e, somente depois disso, gerar riqueza o suficiente para ter um bom fluxo de renda.

Para isso, no entanto, é necessário montar uma boa carteira de investimentos. Ela deve ser flexível, compatível com o seu perfil de investidor e que seja montada exclusivamente para o seu objetivo de ter um patrimônio capaz de gerar renda.

Assim, será necessário trabalhar investimentos que sejam de curto, médio e de longo prazo, explorando diferentes opções de risco e retorno de acordo com o seu perfil. No curto prazo, por exemplo, o ideal é buscar boas oportunidades de alta rentabilidade.

No médio prazo, é importante tentar encontrar ativos que gerem um bom valor durante um bom tempo. Por fim, no longo prazo, o objetivo é buscar estabilidade e segurança, deixando os juros compostos agirem.

Quais ativos devem ser usados em cada momento, entretanto, vai depender do seu perfil de investidor e do tempo disponível para cumprir esse plano. É possível encontrar opções de curto prazo (certas debêntures, por exemplo), médio prazo (LCIs e LCAs) ou longo prazo (Tesouro Direto) na Renda Fixa, mas também, na Renda Variável.

Depois de conseguir juntar um bom valor, o próximo passo é encontrar investimentos que produzam renda passiva. Existem algumas boas opções no mercado. Veja algumas:

  • Tesouro Prefixado ou IPCA+ com cupom de juros semestrais;
  • ações de empresas que pagam dividendos com regularidade;
  • Fundos imobiliários de tijolos (aqueles que são donos de imóveis e recebem aluguéis);
  • Debêntures com amortização anual ou semestral.

É importante, também, diversificar as suas aplicações que buscam renda passiva. Coloque um pouco em uma opção, outro tanto em um segundo ativo. Isso garante que você terá mais segurança contra riscos naturais do mercado.

Pronto! Agora você já sabe a diferença entre renda passiva e ativa, entendeu os riscos de depender apenas do seu trabalho para ter dinheiro e quais os conceitos essenciais para montar uma carteira de investimentos estratégica.

Para poder trabalhar adequadamente com a renda passiva, é importante entender como funcionam os riscos do mercado. Assim, você evita colocar a sua riqueza geradora de renda em perigo. Veja mais em nosso artigo específico sobre o tema e aprenda como diminuir os riscos dos investimentos!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.