riscos do resgate antecipado

Quais os riscos do resgate antecipado do tesouro direto

Muitos investidores, especialmente os de perfil conservador, optam por investir no Tesouro Direto por se tratar de uma alternativa segura e previsível. Porém, é importante entender que mesmo no Tesouro Direto existe a possibilidade de prejuízo em um eventual resgate antecipado dos títulos.

Esse é um detalhe que muitos iniciantes não conhecem e acabam se decepcionando ao perder dinheiro em uma operação mal calculada. Portanto, entender em detalhes o funcionamento desses títulos é fundamental inclusive para que você possa criar a melhor estratégia, de acordo com seu planejamento financeiro.

Neste artigo, você vai conhecer um pouco mais sobre riscos de investimento e como se proteger de prejuízos ao realizar um resgate antecipado do Tesouro Direto. Continue a leitura e confira!

O que é o risco de investimento?

Em termos gerais, investir significa deixar de consumir um recurso escasso para aplicá-lo em uma oportunidade com potencial de gerar retorno lucrativo. Em outras palavras, é como comprar no presente a multiplicação de um recurso no futuro.

Porém, sempre que fazemos isso, corremos o risco, por menor que seja, de termos dificuldades para recuperar os recursos investidos, de perder uma parte desses recursos ou, no pior dos cenários, corremos o risco de perder 100% da nossa aplicação.

Como geralmente estamos falando de dinheiro quando o assunto é investimento, existem alguns tipos de risco que merecem ser considerados antes de tomarmos a decisão de uma aplicação. Os 3 principais tipos de risco você confere a seguir.

Risco de crédito

Risco de crédito se refere à capacidade de seus devedores honrarem os compromissos financeiros estabelecidos e devolverem o que você emprestou. Ou seja, quando você faz um investimento em renda fixa, basicamente você empresta seu dinheiro à determinada instituição segundo a expectativa de ter de volta seu capital corrigido de um percentual de rendimento.

Quanto mais alto for o risco de crédito de uma operação, maiores serão as probabilidades de você ter prejuízo parcial ou total dos valores investidos. No caso do Tesouro Direto, o risco de crédito é o menor entre todas as alternativas de investimento em renda fixa no mercado.

Risco de liquidez

Em algumas alternativas de investimento, resgatar o seu dinheiro pode ser difícil, caso haja pouca demanda pelo ativo negociado. Esse é o risco de liquidez, a probabilidade de não conseguir converter o ativo financeiro de volta em valores monetários.

Um bom exemplo de operação com risco de liquidez é a compra e venda de imóveis. Ao comprar uma casa, você imobiliza seu capital, mas, dependendo das condições do mercado, pode ter dificuldades de revendê-la e ter seu dinheiro de volta.

Mais uma vez, o Tesouro Direto oferece a vantagem de ter títulos extremamente líquidos, o que significa que a chance de não conseguir recuperar seu dinheiro no momento de um resgate é praticamente nula.

Risco de mercado

Risco de mercado é um dos principais pontos de atenção para quem busca retorno financeiro a partir de investimentos. Assim como risco de crédito, quanto maior for o risco de mercado, maiores serão as chances de você ter prejuízo parcial ou total do que investiu.

A diferença, no entanto, é que o risco de mercado está relacionado à oscilação de preços do ativo negociado. No mercado de ações, por exemplo, o que determina a lucratividade dos ativos é o desempenho da empresa e seu valor na bolsa, o que pode tornar os papéis mais caros ou mais baratos.

Esse é o risco que os investidores devem ter em mente na hora de comprar determinados títulos do Tesouro Direto, pois o resgate antecipado pode corresponder a uma venda dos títulos por um preço inferior ao que foi negociado na compra.

Quando vale a pena não realizar o resgate do Tesouro Direto?

riscos do resgate antecipado

Se você tem um plano de investimento bem estruturado, com objetivos claros e uma estratégia definida, certamente você sabe qual é o melhor momento de resgatar seu investimento.

Porém, dependendo do seu perfil de investidor, você pode ter intenções mais ousadas com aqueles títulos que permitem certo grau de especulação. Nesse caso, existe uma condição em que é melhor não resgatar seu dinheiro: quando os títulos estiverem muito baratos.

Esse cenário pode não apenas comprometer o lucro dos seus títulos como significar um prejuízo no seu investimento. Para evitar perdas, o ideal é levar os títulos até a data de vencimento, ou esperar para resgatar os valores quando os títulos estiverem mais caros.

Quais os riscos do resgate antecipado do Tesouro Direto?

Por ser um produto de renda fixa, você sempre sabe exatamente qual será o retorno da sua aplicação no vencimento de um título do Tesouro. Porém, os títulos com maior prazo de vencimento estão sujeitos à marcação a mercado.

Marcação a mercado

Marcação a mercado é a correção do preço dos títulos de renda fixa com base na expectativa das condições futuras de pagamento do prêmio. Ou seja, o valor dos títulos varia conforme o interesse do mercado em emprestar dinheiro para as instituições ou Governo Federal.

Por exemplo, suponha que determinado título do Tesouro ofereça um retorno fixo de 8% ao ano. Se as expectativas do mercado forem pessimistas em relação ao desempenho da administração pública, naturalmente os investidores vão exigir um percentual de rendimento superior para se sentirem atraídos a aplicarem seu capital nessa alternativa.

Desse modo, para elevar o percentual de retorno dos títulos para 10% ao ano, é necessário que o valor de mercado dos títulos seja reduzido. Afinal, o prêmio é fixo na data de vencimento, portanto a correção é feita durante as negociações dentro do prazo de compromisso.

Ou seja, desde que o investidor não liquide seus títulos, no vencimento seu retorno terá sido de 8%, relativamente ao valor pago nos títulos. Caso antecipe o resgate, ele terá que assumir o prejuízo, e quem adquirir no mesmo instante os mesmos títulos garantirá um retorno prefixado de 10%.

Como é feito o pagamento do resgate antecipado do Tesouro Direto?

Resgatar o valor dos seus investimentos em Tesouro Direto é muito simples, seja no vencimento do título ou em um resgate antecipado. Neste último caso, tudo o que você precisa fazer é acessar sua plataforma de investimento e emitir a solicitação de resgate parcial ou total do valor investido.

Importante destacar que os resgates só acontecem em dias úteis, das 9h30 às 18h. Demais horários, ou durante o final de semana, é possível programar uma compra ou venda, mas as operações só serão processadas no horário de atividade do Tesouro Nacional.

Uma vez solicitado o resgate, você recebe o valor no mesmo dia (D+0), desde que a solicitação tenha sido feita antes das 13h. Caso contrário, seu dinheiro estará disponível no dia seguinte (D+1) ou no próximo dia útil.

Agora você sabe como funciona o resgate antecipado do Tesouro Direto e quais cuidados tomar para não ter prejuízos financeiros. Portanto, procure estudar estratégias antes de investir e construa um planejamento financeiro alinhado às suas necessidades e objetivos.

Gostou deste conteúdo? Que tal receber mais informações como essa diretamente no seu email? Então, assine nossa newsletter e fique por dentro de todas as novidades do blog do Banco ABC Brasil!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.