O que pode ser feito para diminuir os riscos dos investimentos?

Todo dia estamos expostos a riscos dos mais diversos, em diferentes situações da nossa vida. Isso vale também quando o assunto é investir dinheiro. Ainda que não seja agradável pensar nisso, toda aplicação financeira conta com seus riscos próprios e lidar com eles é muito importante para obter sucesso ao investir.

Mas o que pode ser feito para minimizar os riscos dos investimentos? Para responder a essa pergunta, acompanhe este artigo, que explica o que são e quais os principais riscos dos investimentos e as melhores estratégias para lidar com eles. Boa leitura.

O que é o risco em investimento?

Para saber como agir diante dos riscos ao investir, é necessário antes de tudo entender, afinal de contas, o que são os riscos em um investimento. Logo, é importante compreender que risco está relacionado à exposições ou a chances de que algo dê errado.

Ao investir seu dinheiro sempre há a possibilidade de que algum aspecto da aplicação financeira faça com que a rentabilidade esperada não seja obtida ou ainda que aconteçam percas no seu patrimônio.

Quais são os principais tipos de risco?

Todavia, embora exista essa definição bem clara do que são os riscos nos investimentos, eles podem ser divididos em diversos tipos, dependendo de onde eles se originam, seja eles sistêmicos (ou seja, que atingem o mercado todo de forma generalizada) ou não-sistêmicos (que age de forma isolada). Abaixo, indicamos e explicamos quais são os principais riscos que incidem sobre suas aplicações.

Risco de crédito

Muitos investimentos, principalmente aqueles em renda fixa, funcionam como uma espécie de empréstimo, no qual o investidor concede recursos para a instituição financeira emissora do título, na promessa de receber de volta no futuro o valor corrigido acrescido de juros.

No entanto, existe a possibilidade de instituições emissoras de títulos enfrentarem problemas financeiros e darem o calote nos investidores, não pagando os valores prometidos. Essa possibilidade se dá o nome de risco de crédito.

Alguns títulos da renda fixa são cobertos pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC), espécie de seguro que garante ao investidor o ressarcimento de depósitos em caso de problemas com a instituição financeira. No entanto, mesmo para aqueles investimentos que contam com essa garantia, é essencial assegurar a reputação do emissor para reduzir as chances de ser atingido pelo risco de crédito.

A melhor forma de dimensionar o risco de crédito de uma instituição é considerando suas avaliações pelas agências de rating. Elas classificam as instituições financeiras e classificam a qualidade de crédito delas. Com isso, fica mais fácil optar por uma instituição reconhecida pela sua solidez e capacidade de honrar seus pagamentos.

No caso de títulos públicos negociados no Tesouro Direto, o risco de crédito é considerado o mais baixo do país pelo fato de ser garantido pelo Tesouro Nacional.

Risco de mercado

A oferta e a demanda, entre outros fatores, podem fazer com que um preço de um ativo caía, fazendo que quem investiu neles perca dinheiro. A essa possibilidade se dá o nome de risco de mercado.

Os motivos que originam o risco de mercado podem ser vários e irem desde oscilações cambiais, mudanças no cenário político ou variações em indicadores importantes da economia, como juros e inflação.

O risco de mercado trabalha, sobretudo, na expectativa de que um preço de um ativo subir ou descer dentro de determinada perspectiva. Por isso, ele costuma ser mais sentido nas aplicações de renda variável, principalmente no mercado de ações.

Risco de liquidez

Já teve dificuldades em resgatar um investimento no momento em que precisou reaver o dinheiro aplicado? Então, você sofreu com o chamado risco de liquidez. Esse é um termo comum no mercado financeiro e representa a facilidade com que uma aplicação pode ser convertido em dinheiro.

Logo, existem aplicações com maior e menor liquidez. Como exemplos de ativos com baixa liquidez podemos citar os imóveis, já que para obter o dinheiro da venda é necessário encontrar um comprador, processo que pode levar tempo. Por outro lado, algumas opções de renda fixa, por exemplo, possuem liquidez diária.

riscos dos investimentos

Por que você deve se preocupar com o tempo de carência em um investimento?

A preocupação com a liquidez faz com que outro aspecto importante dos investimentos tenha que ser observado com cuidado na hora de investir: o prazo de carência. Ele não é nada mais do que a diferença entre a data da aplicação e o prazo em que ela fica disponível para resgate.

Por exemplo: um investimento com liquidez diária a partir de 90 dias e prazo de 1 ano. Isso significa que o prazo de carência é de 90 dias, e a partir desse período seu investimento passa a ter liquidez diária, até seu vencimento em 1 ano.

Logo, o cuidado com o prazo de carência deve levar em conta qual será sua necessidade e planejamento de uso futuro do dinheiro investido

O que são as agências de risco e como elas funcionam?

Outras informações cruciais na hora de decidir onde investir podem ser obtidas com as chamadas agências de rating. Essas empresas analisam e elaboram relatórios indicando a solidez e a segurança de instituições público e privada.

Dessa forma, quanto maior a reputação perante as agências, maior a segurança dos investimentos daquela instituição. Existem escalas que quantificam isso e elas são divididas em dois grupos: a de grau de investimento e a de grau especulativo. Como essa segunda oferece mais riscos, o ideal é focar nas instituições com o grau de investimento.

Como garantir a segurança de um investimento.

Embora os riscos dos investimentos são conhecidos e existam formas de minimizá-los, nunca será possível evitá-los completamente. Ainda assim, é importante saber quais são as melhores estratégias para se prevenir.

A principal delas é a diversificação: por meio dela, o investidor distribui seu dinheiro por aplicações com diferentes graus de risco e com isso dilui eventuais perdas entre toda a sua carteira. Conhecer o mercado e saber bem qual é o seu perfil de investidor são outros fatores que ajudam a investir com menos risco.

Com conhecimento e um bom planejamento não é preciso temer os riscos dos investimentos. Eles estarão sempre lá, mas será possível mantê-los em baixos níveis e com isso aproveitar o melhor de cada aplicação e assim ver seu dinheiro investimento com segurança.

Então, você decidiu em investir? Não faça isso sem antes entrar em contato conosco. Estamos prontos para ajudá-lo e auxiliar em todos os processos.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.